Tema 2021: Transformação

A proposta de transformação como tema para 2021 surgiu quando meditava em João 2.1-12 que narra o milagre da água feita vinho por Jesus. A ideia central é que Jesus Cristo transforma pessoas e situações sem sofrer transformação porque ele, ontem e hoje, é o mesmo e o será para sempre (Hebreus 13.8). Por outro lado, devemos ser continuamente transformados na imagem de Cristo pela operação do Espírito Santo (2 Coríntios 3.18).

O texto de João 2.1-12 nos ensina que a transformação de pessoas e de situações embaraçosas acontece quando Jesus está presente. Na festa ele era convidado, mas, pelo Espírito Santo, ele habita em nossos corações (1 Coríntios 6.19-20) e em nosso meio (1 Coríntios 3.16-17). No entanto, quando a igreja perde Jesus de vista, como aconteceu com a igreja de Laodiceia, embora se considere rica, abastada e sem falta de nada, ela é, na verdade, pobre, miserável cega e nua. Mesmo nesta situação, Jesus não desiste e oferece nova oportunidade: Preste atenção! Estou à porta e bato. Se você ouvir minha voz e abrir a porta, entrarei e, juntos, faremos uma refeição, como amigos (Apocalipse 3:20).

Além da PRESENÇA, Jesus transforma pela manifestação do seu PODER, sem dispensar a nossa participação, como aconteceu com Maria, com os serventes e com o mestre de cerimônias naquela festa. Ele opera de maneira natural, discreta, espontânea, sem data nem lugar anunciados, mas de maneira eficaz de maneira que supre em glória as necessidades e transforma o ambiente de preocupação em momentos de alegria, de festa! Há algo, no entanto que pode limitar a manifestação do poder de Jesus. Depois de mostrar as reações negativas dos judeus de Nazaré, onde foi criado, o evangelista informa: E, por causa da incredulidade deles, realizou ali apenas uns poucos milagres (Mateus 13:58). Por isso, é bom atender à exortação de Jesus a Tomé. Não seja incrédulo. Creia! (João 20:27b).

Finalmente, quando Jesus está presente e age, ele manifesta a sua glória, revela sua identidade e leva pessoas à fé e à salvação. Então, ele alcança o principal PROPÓSITO da sua vinda ao mundo, como ele mesmo afirmou na casa de Zaqueu, respondendo às críticas de religiosos incrédulos e resistentes: Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar os perdidos (Lucas 19:10). Jesus transforma quando está presente, age e leva pessoas à salvação, ao discipulado. A sua obra transformadora continua por intermédio dos seus discípulos. Vocês receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em toda parte: em Jerusalém, em toda a Judeia, em Samaria e nos lugares mais distantes da terra (Atos 1:8).

O nosso sonho é que a nossa igreja cultive a comunhão com Jesus, experimente o poder dele operando hoje por meio da palavra, da oração e dos dons espirituais (1 Coríntios 12.7-11) de tal maneira que pessoas que nos visitem prostem-se com o rosto em terra, adorem a Deus e testifiquem que Deus está, de fato, em nosso meio (ver 1 Coríntios 14.23-25).

Mathias Quintela de Souza
Pastor

“…as sementes que caíram em terra boa produziram na base de cem, de sessenta e de trinta por um” (Mateus 13.8).

Multiplicação é lei da vida. Ao primeiro casal, Deus deu esta ordem: “Sejam fecundos, multipliquem-se, encham a terra e sujeitem-na” (Gênesis 1:28). O princípio é o mesmo para o povo de Deus, simbolizado por Jerusalém, terra arrasada no cativeiro babilônico: “Alargue o espaço de sua tenda e aumente o toldo de sua habitação; não o impeça; alongue as cordas e firme bem as estacas. Porque você se expandirá para a direita e para a esquerda; a sua posteridade possuirá as nações e fará com que se povoem as cidades arrasadas.” (Isaías 54:2,3).

A colheita farta é precedida pela fase desafiante da semeadura da Palavra de Deus. A semente é boa, mas há corações duros que não retêm a Palavra; outros, nos quais Ela germina, mas não criam raízes e morrem; outros, que se deixam levar pelos cuidados e preocupações do mundo e ficam infrutíferos. “Mas aos semeadores perseverantes, Deus prepara os corações: Mas o que foi semeado em boa terra é o que ouve a palavra e a compreende; este frutifica e produz a cem, a sessenta e a trinta por um” (Mateus 13:23). O salmista, celebrando o retorno do cativeiro babilônico, declara: “Os que com lágrimas semeiam com júbilo ceifarão. Quem sai andando e chorando, enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes” (Salmos 126:5,6).

Que Deus nos fortaleça interiormente com poder, mediante o Espírito Santo, para que aceitemos com entusiasmo e alegria o desafio da multiplicação para 2020, em linha com a tradição viva da igreja desde a época apostólica: “Assim, a igreja tinha paz por toda a Judeia, Galileia e Samaria, edificando-se e caminhando no temor do Senhor; e, no consolo do Espírito Santo, crescia em número” (Atos 9:31).

Mathias Quintela de Souza
Pastor Titular 1ª Ipic

 

Todo início de ano, apresentamos um tema que nos orientará para que possamos crescer juntos no conhecimento e nas nossas experiências com Deus. Com isso, temos ouvido pregações baseadas no tema proposto e aprendido mais sobre o que o Senhor quer realizar através de nós, como Sua igreja.

O tema de 2019 para nossa igreja será: FRUTIFICAR. Percebemos que já é hora de colocarmo-nos à presença de Deus para que, através de nós, muitos frutos possam aparecer. Completaremos nesse ano, 115 anos e, por que não, unirmos nossas forças para alcançar 115 novos frutos para o Senhor? Ele já nos tem abençoado com uma equipe de liderança responsável para essa obra. Somos em 3 pastores na equipe; temos 10 presbíteros(as) para cuidar da parte administrativa e espiritual da Igreja; 32 diáconos(isas) que atendem a área social, 26 líderes e auxiliares de células que acompanham e pastoreiam as pessoas que participam das células; 12 líderes de ministérios que servem de apoio para o planejamento geral da igreja.

Enfim, temos muitas pessoas envolvidas com a igreja e ainda podemos contar com muito mais pessoas para cumprirmos com o propósito de Deus. A Palavra de Deus nos orienta em João 15.16a: “Vocês não me escolheram,
mas eu os escolhi para irem e darem fruto, fruto que permaneça.” Essa responsabilidade é dada a todos nós. Quando unimos força para a realização de tarefa, ela se torna mais leve e o tempo para realização mais curto. Que tenhamos um ano frutífero na presença de Deus, por isso, FRUTIFIQUE conosco.

Anterior

Próximo