Editorial semanal

Crises, Redemoinhos ou Tempestades

Rev. Emerson Orenha

Na Palavra de Deus encontramos as palavras: redemoínho e tempestade. Quando se refere ao termo “redemoinho”, significa uma tempestade literal, ou símbolo do juízo divino, bem como teofania, ou seja, a própria manifestação de Deus através da natureza. Isto se torna claro quando vemos o exemplo de Elias, homem abençoado por Deus, e que teve a experiência de ser levado ao céu num redemoinho (2 Reis 2.1-14). Outro exemplo, ainda do Antigo Testamento, é o de Jó que, em meio a grande dificuldade, Deus lhe respondia através de um redemoinho (Jó 38.1).

As tempestades também têm referência no Novo Testamento e lembramos com facilidade a passagem em que o Senhor Jesus estava dormindo num barco e os discípulos ficaram atemorizados com a tempestade que acontecia. Foram acordá-Lo e o Senhor Jesus acalmou a tempestade com sua palavra; ou a passagem que os discípulos, num barco viram o Senhor Jesus indo ao seu encontro, andando sobre as águas.
Quando passamos por crises (no sentido figurado), percebemos o quanto somos frágeis e que precisamos da força de Deus. O apóstolo Paulo registra que nos momentos de “tribulação, ou angústia, ou perseguição, ou fome, ou nudez, ou perigo, ou espada... Somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou” (Romanos 8.35,37). Portanto, o Senhor também quer falar conosco nos redemoinhos, tempestades ou crises, assim como proporcionou a Jó, a Elias e a Paulo.

Não sei quais ventos contrários o colocaram numa crise (tensão familiar, problemas financeiros, de saúde, ou outra dificuldade); contudo, sei que Deus pode falar com você, manifestar-se a você, quebrantar o seu coração e ensiná-lo, a fim de que este redemoinho, tempestade ou crise o amadureça, tornando-o mais forte e em condições de encarar com maturidade as dificuldades da vida.

 
Pagina 7 de 402

Acesso Área Restrita

rss

Não foi especificada a URL da fonte de notícias.
Você está aqui: Início Atividades Semanal Editorial