Editorial semanal

Uma vida de celelbração

Rev. Cristiano Zioli

Richard Foster, em seu livro “As Disciplinas Espirituais”, diz que a Celebração é uma das doze disciplinas que ele enumera, além da oração, do jejum, da simplicidade, entre outras. De fato, a celebração é algo a ser praticado e vivido. Celebrar é um ato de fé. Vivemos dias de profundas inquietações e preocupações. Gente estressada, preocupada, ansiosa. Dá a impressão que celebrar passa a ser uma utopia.

Deus é um Deus de celebração. Mas não apenas dentro de uma esfera de culto, mas Deus nos chama a viver uma vida de celebração. Essa vida possui alguns ingredientes: o primeiro deles é a alegria. Gente movida pela tristeza acaba vendo a vida com muita angústia e desesperança. E a alegria não tem a ver com o que se ganha ou com o que se sente. Não! Alegria é um ato de fé, porque cremos que, mesmo diante do vale da sombra e da morte, Ele está conosco.

O segundo ingrediente é o contentamento. Celebrar não é algo para se viver no futuro, com vitórias futuras. É algo que se vive com o que se tem desde agora. Quando olho para os meus filhos e minha esposa; quando vejo minha família, eu faço a seguinte oração: “Que eu nunca me esqueça que eu já sou Feliz!” Deus é um Deus de amor e de bondade. Ainda que os dias sejam maus, ainda que tudo possa parecer que não tem jeito, Deus não deixou de ser Deus.

O terceiro, e não último, é a justiça. Na Bíblia, a justiça se revela na misericórdia e não na punição. Deus foi misericordioso para conosco enviando Seu Filho para morrer por nós. Jesus, na Mensagem da montanha, diz que os misericordiosos são felizes, porque alcançaram misericórdia. Onde abundou o pecado, superabundou a graça de Deus.

 
Pagina 5 de 329

Acesso Área Restrita

Você está aqui: Início Atividades Semanal Editorial